Eleita nova direção do SINDÁGUA-MG

postado em: Notícias | 0

Os trabalhadores sindicalizados e aposentados filiados ao Deapes participaram em peso do Processo Eleitoral no SINDÁGUA e elegeram os companheiros candidatos pela CHAPA 1 para conduzirem a direção do Sindicato pelos próximos três anos.

Dos 7.267 associados com direito a voto, compareceram às urnas 4.593, ou seja 63,2% do total, e consagraram os eleitos com 4.334 votos.

O presidente do SINDÁGUA, José Maria dos Santos, afirma que “os trabalhadores têm pela frente uma condição em que exigiremos ser ouvidos, que seja aberto definitivamente o diálogo, após a eleição de um governo democrático e popular para Minas, para que os objetivos sociais da empresa sejam resgatados, invertendo a lógica do sucateamento”. O sindicato continuará exigindo com rigor os direitos dos trabalhadores e condições adequadas para mantermos nossos serviços com qualidade. Chegamos a uma situação catastrófica diante da crise hídrica, não apenas pela irregularidade das chuvas, mas principalmente com a falta de investimentos e de uma gestão que privilegiava os lucros para acionistas, virando as costas para os compromissos sociais com um serviço essencial para o povo”. Apoiamos a «mudança no Governo de Minas para mudarmos também a Copasa e cobramos este resgate pelos trabalhadores e para o povo em suas exigências de saneamento universalizado».

Zé Maria cobra do novo governo e da direção da Copasa «a valorização dos trabalhadores e da qualidade dos serviços da empresa, proteja as concessões, barre a terceirização e privatização branca da empresa com as PPPs». Diz ainda que “temos lutas importantes, como o fim da política de portes nos salários e incorporação da GDI nos salários, além da reconstrução, regulamentação e homologação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários transparente e respeitado”.

PARTICIPAÇÃO EM TODO O ESTADO

A Junta Eleitoral garantiu o acesso dos filiados às em todo o Estado. A estrutura contou com um total de 40 urnas, entre fixas e itinerante, com ampla divulgação, que viabilizou o comparecimento dos trabalhadores à votação.

Da mesma forma, os trabalhadores voltaram a demonstrar seu alto nível de consciência e unidade, revitalizando nas urnas a força do Sindicato, que foi imprescindível durante todos estes últimos anos da gestão tucana, que tentou arrochar os direitos da categoria. As inúmeras mobilizações e greves, forçaram os patrões a respeitarem a categoria e garantimos nos Acordos Coletivos todos os direitos conquistados, além de estabelecer ganhos reais nos salários e avançar nos benefícios, como o plano de saúde, aposentadoria complementar, nas defesa dos trabalhadores na Copasa e nas subsidiárias, Copanor, Águas Minerais e serviços autônomos de água nos municípios.

Fonte: Sidágua-MG

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 4 =