Metalúrgicos de Minas iniciam campanha salarial 2015

postado em: Notícias | 0

Com atividade na portaria da GE, entrega da pauta de reivindicações aos patrões e manifestação em frente à sede da Fiemg, os metalúrgicos de Minas Gerais deram início a campanha salarial unificada 2015, que no entendimento de todos, será a mais difícil dos últimos 10 anos.

Com uma jornada longa, que começou às 5h da manhã, os metalúrgicos de BH/Contagem e região realizaram, no último dia 30 de julho, o lançamento da campanha salarial unificada 2015.

Era ainda madrugada, quando dirigentes do nosso Sindicato, juntamente com companheiros de Santa Luzia e Betim, realizaram atividade na portaria da GE. Os sindicalistas informaram aos trabalhadores detalhes sobre como será a campanha salarial deste ano e quais são as nossas principais reivindicações.

Mais tarde, as 10h, aconteceu na sede do nosso Sindicato, uma plenária estadual para definir os encaminhamentos que serão adotados durante o andamento das negociações com os patrões.

As 14h30, representantes de todos os sindicatos metalúrgicos do Estado que estão na campanha salarial unificada deste ano, entregaram a pauta de reivindicações na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). Na reunião, os representantes patronais se comprometeram em analisar a pauta dos metalúrgicos e agendar um calendário de negociação.

Antes, durante e depois da entrega da pauta, foi realizada uma grande manifestação em frente ao prédio da Fiemg, no bairro Funcionários de Belo Horizonte. As lideranças sindicais que se alternaram no microfone, falaram não só das dificuldades que serão enfrentadas nesta campanha salarial, mas também da confiança na conquista de um bom acordo.

Agora companheiro, você precisa fazer sua parte. Converse com seus colegas de trabalho, faça a discussão e faça a luta, pois só vamos conquistar avanços se os trabalhadores se envolverem no processo de mobilização e participarem de todas as atividades organizadas pelo Sindicato. Vamos lá, pois caminhando juntos, vamos conquistar!

Nossas reivindicações

Aumento salarial de 13,5%
Abono de um salário nominal
Piso salarial não inferior a R$1.970,00
Saúde e Segurança
Creche
Licença maternidade de 180 dias
Garantia de emprego de 90 dias a partir da assinatura do acordo
Redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução de salários
Transporte e alimentação
Manutenção das cláusulas anteriores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =