Marcha das Mulheres Negras 2015

postado em: Notícias | 0

Dia 18 de novembro de 2015, enfim chegou a tão esperada data: DIA DA 1ª MARCHA DAS MULHERES NEGRAS. Uma construção coletiva das Mulheres Negras, sindicatos e movimentos sociais.

Brasília tomada por Milhares de mulheres negras. Marcharam em Brasília contra todas as formas de discriminação e violência de gênero. Movimento que começou há 02 anos e foi ampliando e tomando voz em todo país. Resultado: cerca de 30 mil Mulheres Negras, brancas, homens e crianças todos em Marcha para denunciar que o racismo está mais vivo do que nunca.

A população Negra vive um momento onde as pessoas afloraram seus preconceitos e devido à impunidade não se inibem em declarar racistas e intolerantes na internet usando as redes sociais, em lugares público como shoppings center etc. Há um preconceito social muito grande onde divide a população entre ricos e pobres, negros e brancos, partido A e partido B , divisão esta evidenciada pós eleição 2014.

A Mulher Negra neste contexto sofre duplamente: por ser mulher e ser negra. Sofre na pele a discriminação de 500 anos de escravidão velada , 500 anos de invisibilidade no mercado de trabalho, 500 anos de falta de oportunidades nos estudos e uma luta diária para autoafirmação como protagonista de sua própria história.

Com a lei 10.639/03 e 11.645/08 houve um avanço no Combate ao Racismo e intolerância pois, a partir daí o Negro/a foram evidenciados como protagonista na construção da história do Brasil que passa a ser obrigatório a nova redação destacando a saga do/a negro/a nos livros de História e publicações diversas.

Ainda há muito para avançar, mas a Marcha das Mulheres Negras de 2015 ficará marcado como o dia em que Mulheres se levantaram e marcharam denunciando todo o tipo de preconceito e discriminação em nosso país. Brasília nunca mais será a mesma depois de milhares de Mulheres Negras de todos os Estados do Brasil passaram pelas ruas largas e imensas da Capital Federal definido suas pautas e escolhendo Marchar para que seus filhos voltem para casa, denunciando a perda de jovens na guerra contra a polícia, apenas por ter a cor da pele Negra. Denunciando o recorte racial na perda de seus esposos que são presos indiscriminadamente sem julgamento sentenciando mais uma vez pela cor da pele.

A Marcha das Mulheres Negras será o divisor de águas do país que queremos: mais justos, sem discriminação, com oportunidades e leis que sejam aplicadas independente de raça ou gênero. País que só será respeitado quando todos/as independente de raça, condição social e religião possa ter acesso às mesmas oportunidades e tratamento igualitário. Enquanto isso estaremos na Marcha das Mulheres Negras, na Marcha Mundial de Mulheres, e em todos os espaços de denuncias de um país opressor onde a mão da justiça sempre é mais pesada para a população NEGRA.

Basta de racismo!

A CUT/MG organizou e participou ativamente Marcha das Mulheres Negras em Brasília. A Central foi bem representada com caravanas do Triângulo Mineiro, Norte e Sul de Minas, Vale do Aço, Mucuri e Rio Doce, Zona da Mata, Noroeste e Belo Horizonte. Além disso a CUT/MG contribuiu com um ônibus para Cenarab que saiu de Belo Horizonte Foram nove ônibus do movimento sindical CUTista mineiro e um dos movimentos sociais.

Fonte: CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + sete =