Contra o feminicídio, argentinas organizam paralisação

postado em: Notícias | 0

Durante uma hora, entre 13h e 14h, as argentinas cruzaram os braços e protestaram contra o assassinato da jovem Lucía Perez, de 16 anos. O crime chocou o país vizinho, que vive onda de manifestações contra o feminicídio.

A paralisação foi convocada pelas organizadoras da campanha “Ni uma Menos”, que se espalhou por vários países da região. Protestos foram feitos no Chile, Uruguai, Venezuela e Brasil.

Lucía foi sedada, estuprada e empalada. Dois homens que vendiam drogas próximo da escola em que a jovem estudava, Matías Farías, de 23 anos, e Juan Pablo Offidani, de 41, foram presos e acusados por estupro seguido de homicídio. Uma terceira pessoa foi detida por ter ajudado a acobertar o caso.

O crime, cometido na pequena Mar Del Plata, de 600 mil habitantes, gerou comoção em toda Argentina. Desde que Lucía foi morta, no último dia 8 de outubro, outras mulheres foram assassinadas por seus ex-companheiros.

No ano de 2015, segundo a Corte Suprema da Justiça da Argentina, houveram 235 femincídios, contra 225 em 2014. A paralisação de ontem, é similar a que houve na Polônia, com todas as mulheres vestidas de preto. No país europeu, a greve se deu por conta da tentativa do governo de proibir o aborto em qualquer situação.

Fonte:CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × dois =