FALTA UMA SEMANA: DINHEIRO ESQUECIDO NOS BANCOS PODE SER CONSULTADO NO DIA 14

postado em: Notícias | 0

Falta uma semana. Dinheiro esquecido nos bancos pode ser consultado a partir de segunda-feira (14). É o que o Banco Central prometeu. De acordo com o BC, o Sistema Valores a Receber (SVR), ferramental na qual o correntista poderá consultar se tem dinheiro a receber será retomado na semana que vem.

Apagão tirou site do ar

Com desemprego e inflação em alta os brasileiros têm buscado todo dinheiro que estiver disponível. E a partir do momento que foi divulgada a informação, no dia 24 de janeiro, de que há R$ 8 bilhões esquecidos em contas bancárias que podem ser sacados, houve uma corrida ao site do Banco Central, que diante de tantos acessos e por que o governo não se preparou para isso, acabou saindo do ar.

Valores esquecidos nos bancos

Com a normalização do sistema, os valores que estão esquecidos em contas-correntes, poupanças encerradas com saldo positivo, cobranças indevidas por parte dos bancos, recursos não resgatados, entre outros, poderão ser sacados.

O Banco Central disponibiliza a consulta para contas esquecidas a partir de 2001. O saldo que estava em contas de bancos que faliram não poderá ser consultado por que o BC não supervisiona essas instituições após a falência.

Como os bancos vão devolver?

Os bancos têm até 12 dias para devolver os valores, a partir da data do pedido do cliente, via PIX. Se a instituição financeira não aderiu ao pagamento por este modelo deve transferir via DOC ou TED, no mesmo prazo.

Alguns bancos oferecem o pagamento diretamente em seus sites e aplicativos, que é dirigido ao site do BC. Outros que não aderiram ao acordo de pagamento com o Banco Central podem oferecer a opção “Solicitar via instituição”, em que o cliente deve solicitar o pagamento diretamente ao banco.

Posso pedir a devolução do dinheiro em nome de outra pessoa?

Para receber valores em nome de outra pessoa é preciso acessar o Fale Conosco do BC e informar a documentação comprovando que você tem procuração para representar essa pessoa. Caso seja comprovado que há valores disponíveis, o banco enviará um relatório informando o procedimento para recebê-los.

Como fazer a consulta?

A consulta pode ser feita na página “Minha Vida Financeira”, no site do BC, apenas usando o CPF ou CNPJ no caso de pessoa jurídica. Segundo o BC, as informações disponibilizadas no novo serviço são de responsabilidade das próprias instituições financeiras

Para saber se você tem dinheiro em conta antes desta data faça uma pesquisa neste link, a partir do dia 14/02.

Passo a passo como resgatar

Para resgatar os valores, é necessário logar no sistema Registrato, do Banco Central, ou na conta no portal gov.br:

Clique em “Acessar Registrato” após checar se há valores a receber ou acesse o sistema de login do serviço;

Escolha a opção de entrar pela sua conta gov.br ou login Registrato;

Ao passar o cursor em cada uma das opções, é possível visualizar a opção de cadastro;

Para acessar o saldo na plataforma do governo federal, além do cadastro com informações pessoais, é preciso ter um login nível prata ou ouro (oferecidos a quem já integrou a conta de seu banco à plataforma do governo ou registrou biometria facial no aplicativo Meu Gov.br).

Para resgatar os valores via Registrato, sem a necessidade de logar na plataforma do governo, acesse a página de cadastro do serviço. É possível se cadastrar via aplicativo, internet banking ou baixando um certificado digital de segurança. A etapa é necessária para transferir os valores resgatados para a conta do titular do CPF.

Cuidado com golpes

O Banco Central informou que apenas pela ferramenta Registrato as pessoas poderão pedir a devolução do dinheiro esquecido, após começar a circular uma mensagem falsa pelo WhatsApp prometendo liberar o saque instantaneamente.

A mensagem falsa diz: “Consulte agora se você tem algum valor a receber! Saque instantâneo via PIX, mais de 7 milhões de brasileiros já consultaram e sacaram. Consulte agora.” Em seguida oferece um link que menciona a palavra “registrato” e termina com “E/?/Consultar”.Por meio de um link, o informe assegura que mais de 7 milhões já consultaram e sacaram saldos a receber.

Em nota, a instituição alertou que “o BC não entra em contato com os cidadãos. (…) A solicitação de resgate no SVR será feita por meio de usuário e senha e os recursos serão transferidos diretamente das instituições financeiras para os cidadãos, que não devem fazer qualquer depósito prévio a qualquer pessoa ou instituição.”

Devolução será feita em duas fases

Os bancos devem devolver aos correntistas cerca de R$ 3,9 bilhões, numa primeira fase do serviço que envolve saldo disponível em contas já fechadas, tarifas e parcelas de cobradas indevidamente (previstas em termo de compromisso com o BC), cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito e recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

O restante, R$ 4,1 bilhões, deve ser restituído numa segunda fase ao longo do ano. Estarão disponíveis valores decorrentes de tarifas e parcelas cobradas indevidamente (essas previstas ou não em termo de compromisso com o BC), contas em instituições de pagamento ou corretoras de investimento encerradas com saldo disponível e outras situações que impliquem em valores a devolver.

Antes da ferramenta do site do BC sair do ar, no mesmo dia que foi lançada, cerca de 79 mil pessoas já haviam resgatado mais de R$ 900 milhões, segundo a instituição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 2 =