CCJ adia para julho votação de projeto da privatização sem limites

postado em: Notícias | 0

Shakespeare Martins de Jesus, Sérgio Leôncio e Beatriz Cerqueira na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados

A votação da proposta  (Projeto de Lei 4.330/04) que regulamenta as terceirizações de forma ilimitada no país foi adiada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) para 10 de julho, por acordo entre os integrantes do colegiado. Vários parlamentares solicitaram vista do projeto.

“Comprometo-me a só colocar a matéria em pauta daqui a 30 dias”, disse o presidente da comissão, deputado Décio Lima (PT-SC).

O relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PMDB-BA), leu nesta terça-feira (11) seu parecer e a complementação de voto às 121 emendas apresentadas no colegiado.

Sindicalistas da CUT  e de outras centrais fizeram manifestação contra a aprovação da medida durante a reunião. A presidenta da CUT/MG, Beatriz Cerqueira, Shakespeare Martins de Jesus, da Executiva Nacional da Central, e Sérgio Leôncio, do Sindicato dos Metroviários (Sindimetro-MG), estiveram na reunião da CCJ.

Atualmente, cerca de 8,2 milhões, ou 22% dos trabalhadores com carteira assinada no Brasil, são terceirizados, de acordo com estudo do Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros (Sindeprestem), de São Paulo. Os serviços terceirizados são regulados no Brasil pela súmula 331 do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Fonte: CUT MG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + três =