Ocupação dos estudantes e greve de professores desafia gestão tucana no Paraná

postado em: Notícias | 0

O número de escolas ocupadas no Paraná nesta sexta-feira (14),  já soma 407, de acordo com o balanço divulgado nesta manhã pelo movimento “Ocupa Paraná”. Os estudantes também ocupam cinco universidades em protesto a PEC 241 e a Medida Provisória (MP) 746, que prevê flexibilização do currículo, com disciplinas optativas, nas redes pública de ensino.

Em um vídeo divulgado na internet nesta sexta, os estudantes do Colégio Estadual Basílio Vicente de Castra responderam o governador Beto Richa que acusou o movimento de ser “politizado”. Eles declamam um poema do dramaturgo alemão Bertold Brecht, cujo nome é o “analfabeto político”.

“Nós, alunos do estado do Paraná, ocupamos nossas escolas porque somos contrários a qualquer MP, PECs ou medidas tomadas pelo governo que revoga nossos direitos, afirmam os estudantes, que convocam outros alunos do Brasil a ocuparem as escolas.

O governador prometeu que não faria reintegração nas escolas, porém, o tucano não cumpriu a palavra e conseguiu 13 mandatos de reintegração em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

A manifestação estudantil se soma com a greve por tempo indeterminado dos professores do Paraná a partir da próxima segunda-feira (17). A paralisação dos docentes é uma reação ao pedido do governador tucano Beto Richa (PSDB) para que os deputados estaduais aprovem mudanças na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 que autorizavam a suspensão do reajuste do funcionalismo, previsto para janeiro.

Os professores ainda acusam o governador de não ter se comprometido a pagar integralmente a inflação de 2016 aos servidores em 2017.

Beto Richa prometeu aos estudantes que não faria reintegração nas escolas, porém, o tucano não cumpriu a palavra e conseguiu 13 mandatos de reintegração em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

As manifestações dos secundaristas seguem intensas e já chegou em Natal, Parnamirim, Mossoró, Currais Novos, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.

Fonte: CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =