CAMPANHA SALARIAL 2023/2024: FIEMG PROPÕE AGORA REAJUSTE DE 4,51%

postado em: Notícias | 0

Na segunda reunião de negociação da campanha salarial unificada dos Metalúrgicos de Minas sobre cláusula econômica, realizada nessa sexta-feira, 27 de outubro, a FIEMG propôs reajuste salarial de 4,51%, ou seja, 100% do INPC acumulado nos últimos 12 meses encerrados em setembro.

A patronal também propôs um abono de R$ 265,00, para trabalhadores de empresas com até 10 funcionários, e R$525,00, para empregados de empresas com mais de 10 trabalhadores. Além da baixíssima proposta de abono, a FIEMG não aceitou que o abono seja para todos, inclusive nas empresas que negociam PLR.

No caso do piso salarial, a patronal propôs o reajuste de todas as faixas com o mesmo índice proposto para o reajuste salarial, 4,51%. Sendo assim, o menor piso da categoria seria de R$ 1.525,99 e o maior R$ 2.062,07.
A FIEMG voltou a insistir no debate sobre banco de horas. Os trabalhadores até aceitam negociar, mas somente o banco de horas negativo e com a proibição de ser aplicado o banco de horas da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

A patronal quer, ainda, implantar o ponto por exceção em todas as empresas, independente do número de funcionários. Os trabalhadores aceitam a aplicação somente nas empresas com mais de 1000 empregados.

A comissão de trabalhadores manteve a última reivindicação apresentada, com reajuste salarial de 8%. “A título de comparação, a convenção da reparação de veículos, fechada no início deste ano, teve reajuste salarial de 6%, abono de R$350,00 e o piso de R$1.560,00. Se considerar as propostas para empresas com até 10 trabalhadores, o acordo da reparação é superior em todos os aspectos”, lembrou Geraldo Valgas, presidente do Sindimetal.

No dia 1º de novembro a comissão de trabalhadores vai se reunir na sede do Sindimetal para discutir novas estratégias de negociação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 14 =